Precoce, Borel repete feito de Beijoca em estreia no Bahia

Propaganda

Para boa parte dos 13.987 pagantes que estiveram presentes na goleada por 7×1 do Bahia sobre a Juazeirense, quarta-feira (23), na Fonte Nova, foi difícil identificar imediatamente o jogador que entrou aos 31 minutos do segundo tempo, com a camisa 31 – numerólogos e torcedores mais supersticiosos dirão que há alguma boa energia nisso. A surpresa só não foi maior do que quando ele deu uma bela assistência para o gol de Gilberto, o último da partida. Assim, o lateral-direito Douglas Torres, o Borel, de 16 anos, se apresentou à torcida tricolor.

No final de 2018, ainda antes de estrear no profissional, o lateral passou por um período de testes no Wolfsburg, da Alemanha, que depois fez até uma proposta, recusada pelo Bahia. O apelido foi dado por companheiros da divisão base por causa da semelhança com o cantor carioca Nego do Borel. Na época, Douglas tinha o cabelo mais curto, como o do funkeiro.

Com convocações para a seleção brasileira sub-17 e tendo Daniel Alves como ídolo – lateral-direito como ele e também formado na base do Bahia -, Borel já entrou na história do clube por estrear entre os profissionais com tão pouca idade. Tamanha precocidade fez o garoto pular a categoria sub-20.

Pela falta de registros, até mesmo no acervo do clube, não é possível cravar, mas é bem provável que Borel tenha sido o jogador profissional mais novo a entrar em campo com a camisa do Bahia no século 21.

Beijoca estreou com a mesma idade
Segundo o pesquisador Fred do Chame-Chame, o ídolo Beijoca estreou com a mesma idade, 16 anos, em 1970. “Estreei lá em Recife, contra o Santa Cruz, e eu fiz uma estreia boa como ele fez. Depois continuei jogando e aí no segundo jogo já fiz gol contra o Corinthians”, relembra o eterno camisa 9, em contato com o CORREIO.

A diferença entre os dois está nos meses. Na época, Beijoca tinha 16 anos e cinco meses, enquanto Borel debutou com 16 anos e nove meses. Ele faz aniversário no dia 30 de março. O contrato com o Bahia vai até abril de 2021, quando terá ainda 19 anos.

O ídolo Beijoca fez elogios ao jovem Borel. “Se ele continuar com aquela personalidade, vai ser um dos grandes laterais que passaram pelo Bahia. Não só pelo passe pro gol, mas principalmente pela personalidade”, destacou, antes de deixar um simples conselho: “Humildade, rapaz. O cara tem que ser humilde, só isso”, finalizou o ex-centroavante, atualmente com 64 anos.

Marcelo Ramos, Ávine, Bruno César: outros garotos precoces
Estrear aos 16 anos é raro. Com 17, outros exemplos afloram. É o caso de Dico Maradona, que jogou pela primeira no profissional em 1985 e foi campeão brasileiro de 1988 pelo Bahia, e do ídolo Marcelo Ramos, que fez sua partida inaugural em 1991.

Já no século 21, o atacante Jajá, em 2004, o zagueiro Eduardo Neto, o lateral-esquerdo Ávine e o meia Bruno César, todos em 2006, e o lateral-direito Railan, em 2012, também estrearam aos 17 anos.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: