Tragédia da lancha faz dois anos sem resposta, ‘LUTO’

Como o dia trágico de 24 de agosto de 2017 ficou marcado na história do naufrágio da Bahia de Todos os Santos pela consequência e pelas lacunas que foram deixadas nas famílias e também por conta da impunidade para com a empresa que foi responsável pela tragédia que se fala em tragédia anunciada, as vítimas dos municípios de Vera Cruz e Itaparica tiveram a sua vida ceifada por imperícia ou até mesmo por incompetência ou até mesmo a ambição do capitalismo, naquele dia do ocorrido se tinha certeza que o tempo não estava para fazer a navegação mas mesmo assim a decisão foi tomada em se fazer o trajeto Mar Grande x Salvador, aonde após 10 minutos de navegação aconteceu o que se diz ser um acidente, porém com a determinação da Capitania dos Portos que aquele momento não era propício para a viagem Mar Grande x Salvador, caracteriza-se que aí não é mais uma imperícia e sim uma irresponsabilidade, um outro fato que chama bastante atenção é que ao longo desses dois anos demonstra-se que quando chega próximo a data do acontecimento ou do dia do acontecimento aparece é gente, aparece associações, aparecem todo tipo de busca de ajuda que na realidade a partir do dia seguinte tudo isso volta ao esquecimento e as famílias continuaram com as duas perguntas.

1- O que mudou depois do acidente?

A verdade é que nada mudou tudo continua da mesma forma, o acidente aconteceu há dois anos atrás, muitas audiências no Ministério Público, a polícia fechando o inquérito, a Marinha fechou o inquérito, todos esses trâmites foram feitos, a responsabilidade real das coisas de quem são os verdadeiros culpados nada disso até hoje foi feito, a  informação total sabe-se de quem foi a culpa, se o piloto da lancha, porém não podemos afirmar que a culpa é do mesmo, afinal ele é nada mais do que o empregado da CL Transporte cumpre ordens e ali ele deveria estar tendo cumprido ordem, isso é o que se pressupõe a população do município de Vera Cruz que o que aconteceu no acidente ele por sua vez errou também, porém o município de Vera Cruz hoje chora os seus dois anos sem os seus entes queridos de uma tragédia anunciada, uma tragédia mais do que anunciada e continua as coisas como antes, as lanchas viajando com péssimas condições de uso, empresários querendo fazer com que essas embarcações artesanais navega em períodos de chuva, porque para eles o que interessante é única e exclusivamente a rentabilidade não se preocupa nenhuma vez com a segurança de cada usuário, então para a pergunta a resposta é lógica que mudou NADA.

2- Como vive a famílias das vítimas?

Essa é uma pergunta sem resposta porque individualmente cada família daqueles que perderam entes querido por uma incompetência no dia 24 de agosto de 2017, essas famílias vivem aparentemente uma situação normal, uma vida que se segue, porém na verdade se sabe que nada disso é a realidade, pois não se tem uma resposta concreta das autoridades, não se tem um apoio geral também dessas autoridades, desses órgãos que poderiam ser para proteger, cada um vive sobre uma situação delicada aonde se fala que a empresa responsável que causou o acidente oferece hoje e R$ 1.800,00 por cada vítima do naufrágio é inadmissível que R$ 1.800,00 é o preço que vale a vida de cada um daqueles que se foram no naufrágio, por sua vez as famílias estão aí muitos sem dormirem de noite ou até mesmo sem poder e nem cochilar de dia, será que essas pessoas que causaram esses desastre conseguem colocar sua cabeça no travesseiro e dormir em paz, pois temos certeza que a família daqueles que se foram e todos aqueles também que são sobreviventes desse naufrágio a partir daquela data não tiveram uma vida normal como antes, fica aí a seguinte pergunta até quando a impunidade prevalecerá.

Visão Cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: