Fonte da bica: Um patrimônio material maltratado

Propaganda

Por François Starita

Ao que tudo indica, a fonte da Bica receberá em breve uma nova revitalização de suma importância. Essa revitalização, seria a oportunidade para a Prefeitura realizar uma audiência pública, para então, apresentar a natureza de tal revitalização, seguindo assim, um processo de participação popular como prometido durante a campanha de 2016, registrado nas propostas da candidata, atual prefeita do município.

O patrimônio arquitetônico e urbano de Itaparica sofreu muitos descasos, tais como, a reforma duvidosa do centro histórico e da Fonte da Bica pela CONDER em 2009, a destruição de muitos casarões antigos. Essa política de negligência com o patrimônio material da cidade, está em contradição com a pretensão de restaurar Itaparica como destino turístico, não só de um turismo de praia e sol, mas também, de um turismo cultural a fim de preservar o patrimônio material e imaterial da nossa cidade.

No Brasil, há muitos exemplos de cidades que através da preservação do patrimônio material e imaterial, obtiveram um aumento relevante no número de visitas turísticas durante o decorrer do ano. Salvador, Lençóis, Cachoeira, Paraty, Ouro Preto e Tiradentes são algumas das cidades que tive a oportunidade de conhecer pessoalmente, podendo assim, confirmar a veracidade de tais estatísticas.

Preservar o patrimônio material e imaterial, também fortalece a identidade cultural, o sentimento de pertencimento dos Itaparicanos à sua cidade e sua história, e na verdade a consequência é a valorização do sentimento de autoestima.

No nosso mundo contemporâneo, onde parece que somente o consumo e o esquecimento do passado seriam uma fonte de felicidade, parece-me importante proteger a história do nosso território.

Em razão dessa visão equivocada da modernidade, a Fonte da Bica sofreu durante sua última renovação em 2009, a destruição da sua principal característica arquitetônica que existia desde a sua origem: a cerca que protegia ao redor sagrado do surgimento da água mineral, que foi destruída. Outros erros grosseiros foram cometidos, tais como, a instalação de uma cerca de ferro perto do mar, que atualmente, está totalmente enferrujada.

Espero então, que esta última renovação devolva à Fonte da Bica um aspecto mais respeitoso do seu passado glorioso, um aspeito digno da única estância de água mineral na beira do mar das Américas, e que não resulte em uma nova destruição desse espaço que merece muito mais atenção da Prefeitura pelo que representa para nossa cidade.

2 comentários em “Fonte da bica: Um patrimônio material maltratado

  • 21 de julho de 2019 em 18:20
    Permalink

    Tudo para Francis Starita estará bom, mas ele quando voltar de sua viagem vai ver outra Itaparica, uma Itaparica que nenhum gestor conseguiu alcanxar. Vai Marlylda, vai trabalhando pois é assim que a gente faz melhor…. TRABALHAR

    Resposta
  • 21 de julho de 2019 em 18:20
    Permalink

    Tudo para Francis Starita estará bom, mas ele quando voltar de sua viagem vai ver outra Itaparica, uma Itaparica que nenhum gestor conseguiu alcanxar. Vai Marlylda, vai trabalhando pois é assim que a gente faz melhor…. TRABALHAR

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: