Vendas em shoppings têm o menor crescimento em 8 anos

Propaganda
As vendas nas lojas de shoppings cresceram 3% neste Natal na comparação com o mesmo período do ano anterior, o pior desempenho em oito anos, segundo a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop). O número leva em conta o crescimento real, já descontada a inflação. O presidente da Alshop, Nabil Sahyoun, considerou que o avanço registrado no período está atrelado à abertura de novos shoppings e de projetos de expansão.

No critério mesmas lojas, que leva em conta apenas as unidades abertas há mais de um ano, o executivo afirmou que as vendas ficaram estáveis, no mesmo patamar de 2013. “Sem dúvida, o ano de 2014 foi ruim para o comércio, temos um cenário de crédito mais restrito para as populações de menor poder aquisitivo, insegurança com relação às mudanças na economia e a alta do dólar gerando aumentos de preço”, disse Sahyoun.

O presidente da Alshop afirmou ainda que o movimento nos shoppings foi baixo, sobretudo na véspera de Natal, 24 de dezembro. “Parece haver uma mudança de comportamento, não se vê mais os shoppings cheios no último dia antes do Natal, mas sim o movimento de um dia normal, sem filas”, comentou. Entre os fatores que contribuíram para essa mudança, Sahyoun destacou o crescimento das vendas via internet e uma antecipação das compras de Natal na Black Friday, em novembro.

De janeiro a dezembro de 2014, as vendas cresceram em termos reais 1,5%, segundo a Alshop. O indicador também foi considerado fraco pela entidade. Em 2014, foram abertos 25 novos shoppings e dois encerraram as atividades, chegando ao final do ano a um total de 889 centros de compras. A Alshop conta ainda que há 134 shoppings em construção, a serem inaugurados entre três e quatro anos.

Brasil – Segundo o Serasa Experian, que considera todos os estabelecimentos comerciais do país, o resultado das vendas teve queda de 1,7%, entre 18 e 24 de dezembro deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado. Trata-se da primeira retração da série iniciada em 2003. “Os juros altos encarecendo o crediário, inflação elevada e o baixo grau de confiança dos consumidores afetaram negativamente as vendas de Natal deste ano”, disse a Serasa em nota. 
(Reuters Estadão Conteúdo


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: