Entrevista com Mateus Saldanha de Cacha Pregos

A redação do site Visão Cidade realistou uma entrevista com Mateus Saldanha do município de Vera Cruz para entender o seu interesse por Vera Cruz, fato publico e notório nas redes sócias da cidade onde vem debatendo e chamando a atenção pelos seus questionamentos políticos tanto na área municipal, estadual e federal, confira abaixo o que fala Mateus Saldanha ao site Visão Cidade.

1.Quem é Mateus? Nome completo? De qual localidade?
Resposta: Jorge Mateus Saldanha, casado, empresário, formado em estatística pela ESEB (Escola Superior de Estatista da Bahia). Cacha Pregos/Vera Cruz.

2.Qual a sua área de atuação?
Resposta: Empresário do segmento de seguros, estatístico de formação e voluntário em ações sociais.

3.De que maneira você vê a política nacional, estadual e municipal?

Resposta: Hoje temos um cenário político muito complicado em todas as esferas, O Governo Federal que ainda não conseguiu direcionar nosso país para o caminho de crescimento econômicos.
Governo do estado fazendo com números significativos de obras no interior e capital. Obras importantes para as cidades na área de infraestrutura de saneamento, mobilidade e saúde. e Educação.
Município de VERA CRUZ, tivemos nos últimos anos um direcionamento na construção de praças e ruas, porém sendo muito insuficiente na parte da Saúde e Educação.

4.Três pontos são fundamentais para a vida de um povo Educação, Saúde, Saneamento Básico, qual a sua opinião para esses pilares?


Resposta: Esses três pilares são básicos para qualquer sociedade, mas infelizmente não acontece.

Saúde e saneamento básico, caminham juntos, em locais com péssimos saneamento básico, consequentemente, população precisará ainda mais da saúde publica, infelizmente alguns gestores públicos não enxergam assim, deixando o saneamento e saúde em terceiro plano.

Espero que fique o “legado” que foi mobilizado para cuidar das pessoas com COVID 19 para ajudar nas demais doenças que enfrentamos.

A educação é sempre colocada para segundo plano.
“Um povo sem cultura e sem educação é como gado que se toca para onde se quer.” Já dizia o pensador Anderson Cordeiro.

Falando especificamente da Ilha de Itaparica como ver os municípios admistrativamente?
Vejo os gestores fazendo um trabalho básico, cuidando de praças e ruas, porém não consigo enxergar uma política direcionada para Educação, Saúde e renda. Como exemplo, temos hoje o governo do estado investindo no turismo náutico na ilha, porém não consigo enxergar ainda um população devidamente preparada para receber os turistas, além da falta de estrutura, hoje a ilha é apenas passagem para Moro de São Paulo e região.

A saúde é muito um gargalo muito estreito o que falta em nossos governantes para alargado?
Saúde no mundo sempre será um desafio muito difícil.
Acredito que a educação de forma direta, contribui com a melhoria da saúde da população, além disso os nossos governantes, poderiam investir no saneamento básico e saúde preventiva do povo.

5.Você tem pretensões política no município de Vera Cruz?

Resposta: Em virtude do nosso trabalho social e posicionamento político na região, onde sempre buscamos agregar pessoas dispostas a “lutar” pelo povo, tenho recebido incentivos para buscar uma cadeira em 2024.
Inclusive recebemos convite para liderança de dois partidos em Vera Cruz.
Estamos em conversa com nosso grupo político para tomar a melhor decisão, não deixando o foco principal que é melhorar as condições dos esquecidos em Vera Cruz.

6.Nas redes sociais dois pontos estão em evidência em Vera Cruz a UPA em seu atendimento e os taxistas no seu número, como também no valor cobrado nós alvarás, qual a sua opinião sobre os assuntos?

Resposta: Infelizmente a saúde não é prioridade em MUITOS locais, Vera Cruz por exemplo, precisa melhorar muito.
Na última cessão que assistir na câmara de vereadores, foi falado de valores enormes de obras em várias localidades no município, mais nada em relação à saúde.
Quando lembro que uma amiga deu entrada na UBS da Tairu e foi encaminhada para casa, no dia seguinte após piorar, foi levada para UPA em Mar Grande e chegou a falecer, foi algo muito triste.
Será que uma rua não poderia esperar mais alguns meses para execução do calcamento e direcionar o foco na saúde da população.
Mobilidade na ilha precisa ser revisto, taxas de alvarás elevadíssimo, boa parte dos veículos em péssima condição.
A gestão pública precisa dar uma atenção especial aos profissionais do transporte, pois eles que transportam a cidade e seus visitantes.

Visão Cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: