Salvador terá unidades básicas funcionando apenas para casos de Covid-19

Em uma iniciativa inédita para ampliar a capacidade de atendimentos contra o coronavírus em Salvador, a Prefeitura transformará quatro Unidades da Saúde da Família (USFs) em espaços exclusivos para receber pacientes que necessitam de leitos de enfermaria. A ação foi anunciada pelo prefeito Bruno Reis nesta segunda-feira (1º), durante coletiva virtual. Na ocasião, o prefeito também comunicou a prorrogação de medidas de enfrentamento à pandemia.

As USFs IAPI, Itapuã, Pirajá e Imbuí passarão a funcionar sob novo formato a partir desta quinta-feira (4) e receberão pelo período de 24h pacientes provenientes das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da cidade. De acordo com o prefeito, essa manobra estrutural será necessária para diminuir a pressão e quantidade de pessoas que estão nas UPAs à espera de vagas de internação.

“Na semana passada já tínhamos transformado salas de odontologia em locais para receber pessoas com Covid-19. Cada sala podia internar três pessoas. Agora vamos ampliar isso, transformando a unidade básica toda apenas para o tratamento da doença”, explicou.

Mesmo com medidas restritivas mais duras em toda a capital e investimentos para ampliar a rede de assistência à saúde, ainda há uma alta procura por internações provocadas pela infecção do Sars-CoV-2. Só no final de semana, Salvador contabilizou 70 pacientes regulados: 33 para leitos de enfermaria, um pediátrico e 26 para UTI. Noventa pessoas ainda estavam aguardando regulação.

“No auge da primeira onda da pandemia, o máximo que chegamos foi 64 pessoas reguladas ou em regulação. Ou seja, a demanda hoje é quase três vezes maior”, comparou Bruno Reis, chamando atenção para a pressão que paira sobre toda a rede privada da capital baiana. Atualmente, quatro unidades particulares registram 100% de taxa de ocupação, sendo elas os hospitais da Bahia, Aeroporto, Jorge Valente e o Santa Izabel.

O prefeito assegurou que ainda esta semana a Prefeitura abrirá uma nova tenda – uma unidade de suporte ventilatório – próxima à UPA dos Barris, com dez leitos de enfermaria e dois de UTI. Este será mais um investimento para garantir atendimento a quem precisar de tratamento contra Covid-19, aliado à recente transformação do Hospital Salvador exclusivo para atendimento aos casos do novo coronavírus e a construção do hospital de campanha em Itapuã.

Prorrogação – O chefe do Executivo municipal também reforçou a necessidade da prorrogação das medidas restritivas para promover maior isolamento social e evitar um colapso na rede de saúde. Portanto, a Prefeitura vai estender o prazo do decreto nº 33.569 que mantém fechados os campos e quadras públicos da cidade, praias, clubes sociais, recreativos e esportivos – inclusive Arena Aquática de Salvador -, assim como os parques públicos. Com isso, a determinação que venceria nesta terça (2), passa a valer até o dia 9.

Quanto às ações regionalizadas de proteção à vida, estas continuarão acontecendo na Pituba, Brotas, Itapuã, Pernambués e Fazenda Grande do Retiro. O bairro da Boca do Rio sairá da lista para a entrada de São Marcos, localidade que vem somando altos índices de contaminação. A iniciativa será válida também até o próximo dia 9 e pode ser prorrogada.

Além dos testes rápidos, essas ações complementares incluem distribuição de máscaras, medição de temperatura, higienização e lavagem de ruas, ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, apoio às instituições que atendam idosos, crianças e pessoas portadoras de deficiência, localizadas nas áreas, além do atendimento do Cras Itinerante. Nesses bairros, bem como em toda Salvador, apenas atividades consideradas essenciais poderão funcionar, conforme os decretos estadual e municipal em vigor até as 5h de quarta (3).

Vacinação – Em relação às vacinas, o prefeito disse que a expectativa é que o governo federal distribuía, nesta quarta (3), mais um lote com doses da CoronaVac. Nas últimas 24h, a capital baiana tinha em torno de 2,7 mil doses que iam permitir a imunização do restante dos trabalhadores de saúde e idosos acima de 80 anos. “Se as doses se esgotarem, deveremos suspender atendimento e retomá-lo com chegada de outra remessa. Iremos apresentar o calendário a depender da quantidade que chegar”, destacou.

Bruno Reis lembrou ainda que, no sábado passado (27), participou de uma reunião com membros da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP). A entidade tomou a decisão de criar um consórcio de municípios para compra de vacinas, com base na decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e projeto de lei aprovado no Senado.

“Esse consórcio deverá ser montado em três semanas. Com isso, teremos segurança jurídica e poder de barganha maior para negociar valor e prazo de entrega das vacinas com laboratórios que ainda não têm contrato de venda de imunizantes com o governo federal”, ressaltou.

SECOM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: