Ex-presidente do PP e vereador reeleito, Lico indicado a presidência da câmara de vereadores

Por Joaca de Castro

O balcão de apostas de Vera Cruz operou em alta no pré eleição e também no pós. Mas, ao que tudo indica, o martelo ja foi batido e Eliomar Barbuda, Lico (PP), será o novo presidente da Câmara de vereadores de Vera Cruz. Uma indicação estratégica, uma vez que acalma os ânimos e apazigua o horizonte selado entre a ponte do funil que liga Vera Cruz a Salinas, território importante do cacique político Wilson (PSD), reeleito na cidade, e seu filho mais astuto e ligado à vida politica, o empresário Nego da Comercial Coroa.

Não apenas isso, a indicação – que teve em sua banca de negociação os nomes de Niraldo (PSD), que regressa à casa legislativa após o hiato de 4 anos, e Coité (PP), futuro ex prefeito e eleito vereador, serve como emenda ao buraco causado pela candidatura de Ane Sales, atual presidente do Partido Progressista, para a prefeitura de Vera Cruz. Uma vez selada a indicação, o diálogo partidário com quem alocou a segunda força politica da cidade – pois mesmo ficando na terceita colocação, Ane saiu como a única falange de oposição mais séria em Vera Cruz, aposentando Antônio Magno (PT) que foi enterrado a pás de cal, concretos e votos à chapa de Vinicius) – fica em campos de mais suaves: entre atual e reeleito prefeito de Vera Cruz e o mandatário do PP e vice governador João Leão, maior entusiasta da ponte Salvador x ilha de Itaparica.

A luz pisca pro atual vice, Mecinho (PTB), que vê os tentáculos mais fortalecidos do atual prefeito, travarem, por exigência do próprio, o lançamento de nomes para o cargo em 2024. Vinicius sabe que no final do dia 31 de dezembro ele ganha mais 4 anos a frente do Poder Executivo da cidade, mas, no dia 2 de janeiro, ele tem em mente que todos que operam na política anotarão, pra bom ou pra ruim, menos um dia dele como prefeito. Mas engana-se quem pensa que Mecinho, esse leão devorador de carne pública, foi domado. Bastidores da política destacam que ele quer operar sozinho no gabinete, peneirando e filtrando tudo, inclusive já tratou de substituir peões no tabuleiro do gabinete pra que a conjuntura com a casa legislativa não favoreça a um novato “queridinho da galera”, mesmo que pra isso ele esqueça seus pares e opere pro mais votado.

GABINETE SITIADO

E por falar nele, o mais votado, o conflito saudável é o que se espera na questão do social em Vera Cruz, que sairá das mãos profissionais de um excelente político de causas e passará a ser disputada por mentes mais abertas para questões menos políticas, mas não menos necessárias. Fabio Costa (PCdoB) e Olimpio Lima (PSD) querem que o entretenimento e a cultura na cidade ganhem destaque. Quem ganha é a juventude – é o que se espera – que em 2024 estará afiada com seus títulos e seus prediletos. E, quem sabe, as cenas assistidas nas zonas eleitorais de 2020 felizmente não se repitam.

CASOS DE FAMÍLIA

Se, por um lado, assim como em 2016, o prefeito soube bem usar seu poder de persuasão e pragmatismo político, no que se refere à Itaparica, os ventos não sopram muito bem. Apostar em romances periféricos (que já rendem o que falar, inclusive em exoneração de cônjuge de amigos pessoais) e em uma política de cabresto na questão da gestão da pasta de Saúde, não rendeu lá bons frutos com a familia Oliveira. Mas nada que o bom e velho pragmatismo não possa resolver, uma vez que o campo da gratidão política aplicada entre Vinicius e o futuro Vice de Itaparica e futuro secretário de Educação, Raimundinho (PCdoB) está em alta. Tem gente que acha a familia mais importante. Tem gente que prefere cumprir os acordos, principalmente os financeiros. Que o erário e a boa política não sejam atrapalhadas nessa escolha.

ELTON, RASTA E LINSMAR… E, TOINHO?

De certo que Jorge Rasta (Republicanos) e Elton (MDB) desejam estar na chapa de 2024. Que Mecinho quer ser indicação e que Igor é o Bruno Reis Tupinambá de Vinicius, todos sabemos também. Que Linsmar e Toinho vão ter que prestar muita lealdade pra entrar na pizza, também já sabemos, uma vez que o prodígio do Baiacu viu sua intenção de ser nome pra 2024 afundar com a sua não ida pra Câmara. Mas o que vemos e atestamos, inclusive todos eles, é que o humor irrefutavelmente duro de Vinicius ainda é a sua marca registrada.

Visão Cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: