O Matuto: O passarinho ‘vortou’

“Olha só, eu tô aqui de manhã cedinho, bem cedinho lá para as 4 horas da manhã jogando milho para as galinhas, limpando aqui a leira do maracujá, olhando os pé de tomate, limpando os pé de quiabo, cuidando aqui da minha rocinha quando de repente ali em cima no toco senta um passarinho, sentou e aí começou ‘tio, tio, tio, tio, tio’, eu olho para o lado e olho para o outro e ele continua ‘tio, tio, tio, tio’ chamando a minha atenção, aí eu parei peguei a enxada, peguei o banquinho e fui lá para perto do passarinho, coloquei o banquinho, segurei me apoiando na enxada e o passarinho aí começou a me falar, ‘Mas tu já viu a política daqui tá é fraca, parece que tão com medo um do outro, ninguém fala nada, até o negócio dos papéis que bota aí para sair dando tá fraco e os que estão rodando aí parece que o povo não tá gostando não, porque diz que tem um bocado de gente aí com o segundo, que é candidato a vereador e outra candidato a prefeito, mas aonde tá dando esses papel com retrato dos dois tem muita gente cortando um retrato de um deles, não me disseram quem era, mas tão cortando só tá deixando retrato de um’, o passarinho veio me contar isso porque eu não tenho nada a ver com isso quem quiser que faça o seu, nós aqui na roça tá de olho aberto para tudo isso.
Aí o passarinho veio me contar também do negócio aí de botar o paredão e o povo dançando para o lado, dançando para o outro, gritando subindo em cima dos carros para dançar, para gritar que tá uma coisa só que esqueceram que tem a tal da pandemia, isso tudo acontece na beira do Dique Grande, nois passa nos postos de gasolina daqui da roça pior de tudo que não tem quem tome providência é uma zuada só, mas também né o que é de se dizer o povo vem para a roça para se divertir e o pior de tudo é que nois daqui da roça é que sofre, a coisa aqui tá parecendo até Carnaval, fim de ano, é gente saindo pelo ladrão, as casas que aluga quarto aqui que eles dizem que é pousada tá tudo cheia, as casas de aluguel então essas você não acha uma e quando você acha o precinho tá lá em cima, mas isso não vem ao caso o que vem realmente é a preocupação com o povo daqui da roça, por que os seus representantes escolhidos na eleição passada não tão nem aí, tá tudo acontecendo ao tal do bel prazer como disse o passarinho, sem falar nesta junção entre muita gente para eleger aqueles que eles querem essa é a falácia daqui da roça que tão dizendo que querem eleger uns e outros, mais tem até gente segundo o passarinho que se chama coronel aqui na roça de volta, e se for assim é capaz até como diz lá o tal do professor vai voltar o tempo da escravidão, mas eu não creio muito nisso não viu, por que o povo da roça tá atento, aí eu disse ao passarinho, passarinho não se incomode não, tá vendo esse mato todo aí, tá vendo esse verde todo aí, quando você olha lá para frente você vê aquele azulzão lá no dique grande esse povo que tá querendo acabar com tudo isso é uma minoria, nois é muito mais maior do que ele, porque tu sabe passarinho nois o povo é como diz e como dizia os repórter da televisão ‘Não se iluda, o povo é soberano’.”

Visão Cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: