O Matuto: A roça tá pegando fogo

“Eita aqui na roça tá pegando fogo viu, o povo tá com pavio curto que só aquele foguete que sobe aí para estourar as bombas, tudo é razão de uma conversa, tudo é razão de uma discussão de um bate-boca dos pecados, o povo não sabe o que fazer quando um fala uma coisa e outro vem lá com quadro quatro pedras na mão e lá vai, lá vai, lá vai e a discussão comendo no centro, hora tudo isso já é por causa da tal da política, um defende, outros ataca, outros ataca, outros defende, outro me desculpa aí, o trocadilho, mas aqui na roça o bicho tá pegando, o negócio aqui não tá brincadeira para política não e o pior de tudo não é nada é que estão dizendo aí que o ‘coro’ vai comer, porque só vai ser dois disputando a cadeira para prefeito, mas é isso mesmo o povo sabe o que quer, o povo sabe escolher, mas uma coisa é certa viu, o povo não é besta mesmo não, hein.

Essa semana nas redes sociais aqui na roça foi uma discussão danada, discutiu aí por causa de um negócio de uma placa que estava escrevido errada, porque uma pessoa lá chamou outra lá e o povo todo lá de porco, talvez até tenha chamado, mas lembrando que quando chama todo mundo de porco até quem chamou tá no meio, então não chamou por querer acho que foi uma força de expressão, tenho certeza que essa pessoa não ia chamar ninguém de porco ou será que tinha mesmo essa tal da intenção, agora o povo sabe que não é essa a tal da postura do atual gestor daqui da roça por ser uma pessoa muito séria, uma pessoa letrada, jamais faria isso, mas aí as pessoas que seguem ele tá tomando as dores, tão falando, isso é normal assim como fala, ‘Uma das viúvas do outro que saiu e hoje quem tá aí não é viúvo e nem viúva, mas amanhã pode ser viúva também’, então tem que ter calma a pessoa tem que ter delicadeza,pois a seleção aqui na roça só vai ser no dia 4 de outubro.

Só voltando a lembrar tem um bocado de ditado aqui na roça que a gente fica a escutar tem um tal de ‘To cumendo e andando’, por que ‘O que os olhos não vê o coração não padece’, ‘Chuva de açoite não molha o capim’, ‘Amarra-se o burro a vontade do dono’, ‘Coração de gente é terra que ninguém passeia’ e outros tantos mais, a soma disso tudo só faz lembrar o povo da roça é muito inteligente, ele já errou e pode até continuar errando, mas o povo da roça gosta mesmo é de gente que gosta de gente.”

Visão Cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: