Espaços Boca de Brasa realizam mostra de oficinas artísticas

Neste sábado (30), às 15h, o espaço cultural Boca de Brasa CEU de Valéria, na localidade de Lagoa da Paixão, recebe a mostra de resultados das oficinas de Teatro, Música e Cinema. O evento vai contar a história do projeto Boca de Brasa e terá participação de Márcia Short e diversos artistas locais. Já no dia 5 de dezembro, às 18h, a programação acontece no espaço Boca de Brasa Subúrbio 360, em Vista Alegre.

O evento tem direção da atriz Zeca de Abreu e contará ainda com a participação do ator Diogo Lopes Filho e com a apresentação de grupos locais, como Artvidance, Ananias Break, Balé Rosa de Saron, DNA Artes, Thabata Vermont, Uz Dance, dentre outros.

“É uma alegria participar mais uma vez do Boca de Brasa, nesses tempos em que a cultura vem sofrendo no país. Salvador segue fomentando arte e cultura, incentivando e nossos jovens. É uma felicidade para mim”, afirma Márcia Short.

Juntos, os espaços Boca de Brasa Subúrbio 360 e Boca de Brasa Céu de Valéria receberam mais de 44 mil pessoas, possibilitando acesso aos meios de produção e qualificação profissional de mais de 1,5 mil artistas e outros profissionais do campo cultural. Além disso, cerca de 300 eventos foram realizados e mais de 130 alunos participaram das oficinas nos dois espaços.

“O lançamento do Ano I do edital Boca de Brasa e a inauguração dos espaços em Vista Alegre e Lagoa da Paixão foram marcos importantes. Mas foi em 2019 que o projeto ganhou corpo e a mostra, passando pela trajetória do Boca de Brasa, nos dará a oportunidade de perceber os avanços que a cultura é capaz de promover na vida das pessoas, especialmente dando outras perspectivas aos jovens negros das periferias. Isso muito me emociona”, afirma o gerente de equipamentos culturais da FGM, Chicco Assis.

O projeto – Em 2013, o projeto foi retomado pela Fundação Gregório de Mattos (FGM), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), e passou a ter também um caráter formativo, com a realização de oficinas artísticas e de gestão cultural.

Já em 2017, atendendo a uma demanda trazida por mais de 20 comunidades por onde o projeto passou, o Boca de Brasa se transformou em espaços culturais, construídos e administrados pela Prefeitura, através da Gerência de Equipamentos Culturais da FGM e, de editais de apoio a espaços culturais já existentes.

SECOM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: