‘Botijão de gás pela metade do preço’, promessa não comprida

Estava observando o quanto o povo brasileiro é paciente, veja bem eu vi uma promessa no início do governo do senhor Jair Messias Bolsonaro aonde o preço do botijão de gás de 13 kg cairia pela metade, bom percebe-se que neste período nós estamos entrando no quarto trimestre do ano de 2019 e não temos visto nada disso, pelo contrário são sucessivos aumentos nas refinarias e repassados para o consumidores, aliás essa política dos combustíveis é o que está acontecendo com o povo brasileiro, o botijão de gás de 13 kg é o que sustenta toda a família brasileira, em algumas regiões esse precioso gás para cozinhar custa até R$ 96,00 reais,o que encarece o custo para as famílias principalmente para aqueles que cozinham e faz da sua sobrevivência para vender alimentos sem poder aumentar o preço das suas ‘quentinhas’e dos seus ‘feijões’ vendidos ao público,imagine só já são quatro aumentos em um ano daquele que seria para o preço ser pela metade do botijão de gás.

Segundo Dona Rita que trabalha no ramo de fazer alimentos fornecer quentinhas, salgados e outros petiscos, o aumento do botijão de gás vai gerar um desconforto muito grande, pois a mesma não pode aumentar os seus produtos, mas o botijão de gás que ela gasta em média de 3 a 4 por semana aumentou e na realidade não foi essa a promessa feita em campanha politica, hoje o que se vê é o aumento constante do preço do botijão de gás aonde todos sofrem com o mesmo.

Visão Cidade

Um comentário em “‘Botijão de gás pela metade do preço’, promessa não comprida

  • 27 de outubro de 2019 em 18:20
    Permalink

    O problema do Brasil é a falta de educação, isso traz prejuízos gigantesco para toda a nação, vamos ao caso contido nessa reportagem, onde há um total equívoco de raciocínio. O governo Bolsonaro não prometeu intervir em preço de nada, o ministro da economia fala todos os dias em abrir o mercado para que a livre concorrência das empresas precifique os produtos inclusive, o gás. É um processo, que depende também da retirada de barreiras tarifárias e que está em processo, para confirmar pesquisem sobre importação de gás de cozinha da Bolívia por navio. O fato é, o brasileiro aprendeu a ser tão refém do governo que espera que tudo venha das suas mãos, isso é um absurdo e é fomentado por uma educação sem qualidade. Infeliz do homem que depende do governo e pior ainda quando isso acontece com toda uma sociedade, quanto maior o Estado menor será a sociedade. A educação faz os homens virarem águias ou galinhas, e no nosso caso fomos educados para sermos galinhas.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: