Modal, a palavra da moda

Pois é palavras bonitas inventadas pelos técnicos e especialistas e muito mais, a palavra da moda hoje é modal, aí para tudo tem que ter um modal, é modal disso, modal daquilo e nada de solução para quem mais precisa o povo no que se refere ao transporte coletivo de massa,mais é verdade que Salvador está passando por uma situação onde as empresas receberam os ônibus e estão aguardando o sinal verde para que eles saiam das garagens, o povo só quer o ônibus, menos mal que pelo menos esses aí já chegaram, tem até ar-condicionado para dar mais conforto ao usuário, terá câmeras de segurança para dar mais segurança ao povo é só aguardar agora esses ônibus irem para a rua.

Com essa palavra modal vem se discutindo a construção de uma ‘pinguela’ que vai ligar Salvador a Itaparica e vice-versa, nada contra por que com a construção deste modal supostamente o progresso chegará para as duas cidades principais que compõem a Ilha de Itaparica no caso os municípios de Itaparica e Vera Cruz, porém existe um fator preponderante e muito sério o modal de transporte desses dois municípios ainda são da era primitiva a base de alvarás e concessões individuais, vale ressaltar para o transporte alternativo isso faz com que moradores e visitantes utilizem para o seu deslocamento vans, táxi e carros particulares, este é o modal que faz o transporte nos municípios da Ilha aqui tão pertinho da capital baiana.

Com esse modal de transporte não se é permitido pelos proprietários dos veículos que faz o tal transporte o comprimento de uma lei federal que é a gratuidade para idosos e para portadores de necessidades especiais e seus acompanhantes, para alguns proprietários desses veículos a justificativa se dá por conta de que não tem um retorno em subsídios das gestões, ficando assim difícil oferecer essa gratuidade, na visão dos proprietários mesmo que  estando fazendo esse transporte com concessão dos alvarás pelas prefeituras eles não se colocam no direito do comprimento da lei.

Algo bastante interessante vem a tona nesses dois municípios nos quais estão se discutindo o PDDU e com certeza absoluta o modal de acessibilidade e mobilidade devem estar incluso na discussão, na realidade estes municípios já deveriam estar com o modal de transporte coletivo e não mais transporte alternativo, fica aí a pergunta ‘Por que será?’.

Com a palavra a gestão municipal, as Câmaras de Vereadores,as associações e cooperativas de transporte de cada município.

Visão Cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: