Casa de Barro: Um problema social ou de saúde pública

As casas feitas de barro que servem de moradia para milhares de brasileiros, estão no centro de uma questão social e de saúde pública.
Elas fazem parte da paisagem das localidades nos municípios de Vera Cruz e Itaparica em Baiacu, Ponta Grossa, Campinas, Catu,Juerana em Vera Cruz,Misericórdia, Manguinhos, Mucambo,Porto Santo em Itaparica. No Brasil principalmente no norte nordeste ainda existem milhares de casas como estas, feitas de barro e madeira.
Elas se multiplicaram na região norte e no nordeste, por conta do baixo custo e da facilidade para construir. “só barro, não tem cimento”, explicou uma moradora.sem rebolco que reveste as paredes favorece a proliferação de insetos, principalmente o barbeiro, transmissor da doença de Chagas.
“Se aquela infecção for recente, existe a cura quando ela se cornifica o paciente vai conviver com os sintomas, vai lidar com esses sintomas e tentar prolongar o máximo possível a vida do paciente com Chagas”, explicou o coordenador de endemias.
A chuva forte, o vento colabora com a degradação rápida do barro que reveste as paredes das casas de taipa, surgindo alguns buracos eles servem de moradia para o barbeiro e os buracos que aparecem acabam sendo  porta de entrada para o transmissor da doença de Chagas.
Construir  e mora em uma casa de tijolo antes de contrair a doença de Chagas é um sonho para quem ainda vive entre paredes de barro: “Se puder escolher, lógico que preferíamos mora em uma casa mais segura” a expectativas são os programas sociais do governo federal a exemplo o minha casa minha vida que em particular não contemplou as famílias de Vera Cruz e Itaparica.
Visão Cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: