Codesal faz balanço parcial da Operação Chuva 2019



Entre 01 de março a 30 de abril deste ano, os técnicos da Defesa Civil de Salvador realizaram 4.499 vistorias de imóveis em áreas de risco, contabilizando um aumento de 31,9% em relação a igual período do ano anterior, quando foram realizadas 3.410 inspeções. Entre os anos de 2017 e 2018, este crescimento foi de 55,9%, dados que refletem o sucesso da implementação das atividades preventivas da Codesal, reestruturada, em 2016, por decisão do prefeito ACM Neto.

Estes foram alguns dos dados apontados no balanço parcial da Operação Chuva 2019, divulgado nesta sexta-feira (03/05), referente aos meses de março, quando se intensificam as ações preparativa para o período chuvoso, e abril de modo a consolidar as ações órgão.

Ao longo do ano, a Defesa Civil de Salvador, tem intensificado ações preventivas nas áreas de risco da capital baiana. Neste sentido, as vistorias preventivas são realizadas diariamente a partir de demandas dos moradores ou de solicitações feitas através dos órgãos parceiros da Operação Chuva.

“A prioridade da Defesa Civil é preservar vidas. Fazemos sistematicamente esse acompanhamento e, se alguém perceber mudança no cenário, deve entrar em contato conosco imediatamente. É fundamental que os moradores sigam as instruções dos nossos técnicos”, orienta o diretor geral da Codesal, Sosthenes Macêdo. O órgão permanece com o plantão 24 horas, atendendo às solicitações pelo telefone gratuito 199.

VISTORIAS

“As vistorias são realizadas a partir da avaliação de risco geológico ou construtivo, de forma a prevenir, proteger e preservar o bem-estar dos cidadãos”, destaca o coordenador de Ações de Contingência da Codesal, Francisco Costa Júnior. O processo se inicia por meio de solicitação pelo telefone 199. Em seguida, o técnico procede a visita ao imóvel sob risco e realiza a análise estrutural. A regra também se aplica aos casarões históricos da cidade. No processo de vistoria são verificadas as condições da construção, além do risco de desabamento no local.

Segundo os dados do balanço, a Codesal atendeu, entre outras ocorrências, a solicitações referentes a 27 desabamentos de imóvel, 880 ameaças de desabamento, 240 deslizamentos de terra, 1470 ameaças de deslizamento, 607 alagamentos de imóveis, 55 desabamentos de muro e 85 ameaças de desabamentos de muro.

No período, a Defesa Civil de Salvador aplicou, com a colaboração da Limpurb, 111.960 m² de lona plástica em 950 áreas para impermeabilização de terrenos de encostas.

Os locais mais afetados pelas chuvas no período foram os bairros com topografia acidentada, a exemplo de São Marcos (276 solicitações), Campinas de Pirajá (203), Alto da Terezinha (151), Capelinha de São Caetano (143), Marechal Rondon (140), Sussuarana (133) e Lobato (124).

ATENDIMENTO À COMUNIDADES

O setor de Atendimento à Comunidade em Áreas de Risco (Sacar) prestou assistência à população atingida por fenômenos adversos, realizando os encaminhamentos de demandas relativas às situações resultantes de alagamentos, deslizamentos de terra e desabamentos. Entre 15 de março a 30 de abril foram realizados 2024 cadastros sociais, 37,12% a mais do que igual período do ano anterior.

Segundo a sucoordenadoria de Monitoramento e Análises das Ações Climáticas e Sistemas de Alerta, em março os maiores acumulados de chuvas, no período de uma hora, ocorreram nos dias 23, no Cabula (61,9 mm), Pernambués (59,2mm) e Federação (58,4mm) e, no dia 30, na Ilha de Maré (80,8 mm). Em abril, dia 04, em Periperi (96,4mm), Vila Picasso (60,2mm) e Ato do Peru (59,9mm). Os maiores acumulados em março foram registrados pelos pluviômetros de Ondina (285,2mm) e Federação (246,1), sendo que a média climatológica para o mês é de 151,6mm. Em abril, Planalto Real (332,2mm) e Bom Juá (328,0 mm); a média para o mês é de 309,7mm.

Ainda de acordo com a Codesal, o órgão tem realizado atividades preventivas e educativas em áreas de risco, com a instalação de Núcleo Comunitário de Proteção e Defesa Civil (Nupdecs) e a realização de simulados de evacuação em comunidades de Salvador.

ASCOM



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: