Salvador é a única capital do Nordeste a sediar a Copa América

Propaganda

Após 30 anos sem sediar a Copa América, o Brasil abre portas de estádios de cinco capitais – Salvador, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, São Paulo, e Porto Alegre, entre os dias 14 de junho e 7 de julho –, para 12 seleções correrem na busca pelo troféu de campeão da Copa América 2019. Na noite desta quinta-feira (24), a Cidade das Artes, localizada na zona oeste do Rio de Janeiro, foi feito o sorteio oficial que tornaram conhecidos os confrontos dos três grupos e a agenda dos jogos.

O grupo A será composto pelo anfitrião Brasil, Bolívia, Venezuela e Peru. Já a seleção da Argentina, Colômbia, Paraguai e a convidada sede da próxima Copa do Mundo, o Catar, completam o grupo B. O grupo C será formado pelo Uruguai, Equador, Chile e o também convidado Japão, país sede dos Jogos Olímpicos de 2020.

A Arena Fonte Nova será o estádio oficial da Bahia em cinco partidas da competição. Os jogos da fase de Grupos ocorrem a partir do dia 15 de junho, sendo o primeiro confronto na capital baiana do grupo B, entre Argentina x Colômbia, às 19h.

No dia 18 de junho, a Seleção Brasileira entra em campo, para as 21h30 enfrentar a Venezuela, em Salvador. Nesta data, há exatos 30 anos, as duas seleções se enfrentaram em um jogo da Copa América (1989), com vitória de 3 a 1 para o Brasil.

Ao comentar a escolha da Bahia como único estado nordestino a receber jogos da Copa América, o diretor geral da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Elias Dourado, diz ter sido “uma premiação para a Bahia, resultado de todo um planejamento conduzido pelo governo estadual”.

Na opinião de Elias Dourado, o estado se qualificou desde a Copa das Confederações (2013), Copa do Mundo (2014), Olimpíadas (2016) e demais eventos de futebol sediados no estado, “construindo uma infraestrutura esportiva positiva, não só com a Arena Fonte Nova, que demonstra claramente a importância da sua construção e de toda modelagem feita para que ela pudesse existir com vitalidade e permanente resposta para necessidade de qualquer grande evento não só de esporte”, disse.


Fonte: Ascom/ Sudesb



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: