Caminhada na Orla de Salvador incentiva a amamentação

Propaganda

Uma caminhada na Orla de Salvador, na manhã deste sábado (4), chamou a atenção para a importância da amamentação como base para a saúde e desenvolvimento das crianças. A mobilização, que a integra a programação 27ª Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM – 1ª a 7 de agosto) e da 2ª edição do Agosto Dourado, aconteceu a partir de uma parceria da Sociedade Baiana de Pediatria (Sobape) com o Comitê de Aleitamento Materno de Salvador (Coamas) e o Comitê Estadual de Aleitamento Materno (Ceam).

Além de profissionais de maternidades públicas e de distritos de saúde de Salvador, diversas famílias que abraçam a causa se juntaram ao grupo em um café da manhã solidário antes da saída para o percurso de ida e volta do Jardim de Alah até o antigo Aeroclube.

“Essa caminhada já virou uma marca. Vamos fazer essa mensagem ecoar e defender essa prática que é fundamental para termos crianças fortes e saudáveis”, destacou a presidente da Sobape, a pediatra Dolores Fernandez, em sua mensagem de saudação e agradecimento aos “amigos do peito”.

Além das faixas, camisetas e panfletos, houve distribuição de laços dourados, símbolo da campanha, confeccionados por mães e servidoras do Instituto de Perinatologia da Bahia (Iperba).

A terapeuta Elis Carvalho soube da caminhada pelas redes sociais e chegou cedo com o filho Luan, de um ano e nove meses.

“Ele mama por livre demanda desde que nasceu. Só depois dos seis meses comecei a complementar com verduras e frutas. Hoje estou caminhando para um desmame gentil, respeitoso, tudo no nosso tempo”, compartilhou, ao pontuar que o ato de amamentar ajudou em sua recuperação pós-parto. “Gerou fluxo no meu peito. Eu sentia meu útero contrair”, citou.

A presidente do Departamento deAleitamento Materno da Sobape, pediatra Iandira Castro, destacou a contribuição social da caminhada.

“O que a gente quer é que as pessoas se conscientizem da importância da amamentação como forma de diminuir a mortalidade e morbidade das crianças. Quase um milhão de crianças morrem em todo o mundo porque não são amamentadas. O simples fato de amamenta reduziria um milhão de mortes no planeta”, alertou.

A pediatra advertiu ainda que, dados do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), apontam o Nordeste como região campeã em desmame precoce.

Ela explica que o aleitamento materno deve acontecer de forma exclusiva nos seis primeiros meses de vida e seguir até os dois anos ou mais com alimentação complementar, “mas não com outro tipo de leite”.

PROGRAMAÇÃO

16 de agosto – Seminário com o tema da SMAM “Amamentação é a Base da Vida”. A partir das 14h, no auditório da Unifacs, campus Paralela, 7° andar. Vagas limitadas à capacidade do local – 150 pessoas.

26 de agosto – Mamando no Parque da Cidade. A partir das 9h. Rodas de conversa para troca de experiências, dança, música e oficinas.

(Imprensa pediatria



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: