A Ilha de Itaparica com as suas diferenças

Tem ‘cheiro de mar’ de interesses pessoais quando se trata de um assunto muito importante para os itaparicanos e vera-cruzenses é público e notório que é a divisão da ilha em dois municípios, a cerca de 56 anos atrás foi um grande feito para as pessoas que detinha o poder da ilha ao ponto de aceitar com bastante confiança a demarcação realizada ficando Itaparica com 29% do território e Vera Cruz com os outros 80% por conta que na época o município de Itaparica abriu mão da Contra Costa.

Neste caso ficando as localidades do Baiacu, Juerana, Campinas, Pronta Grossa, Matarandiba, Jeribatuba, Catu de Berlink, com o município de Vera Cruz, fala-se que até mesmo as comunidades de Tairu, Berlink, Aratuba e Cacha Pregos seriam território do município de Itaparica, pois é isso que afirma algumas pessoas da ilha o que é contestada por outras, isso demonstra que foi uma temeridade dos mandatários de Itaparica na época que tornou a Ilha de Itaparica em dois municípios por conta da polícia partidária, caso que até os dias de hoje impera tanto em Vera Cruz como em Itaparica.

Levando em consideração que os dois municípios vizinhos vivem com o ‘pires na mão’, após alguns anos da divisão política e territorial da ilha, o que ficou claro é que a briga pelo poder ficou na disputa de quem pode mais e um tal de tira daqui é coloca ali que não tem fim, a poucos dias o governador do estado esteve mais uma vez na Ilha de Itaparica entregando obras e assinado ordem de serviço para mais obras esse é um sinal que a ilha voltou a ser os olhos da política e do futuro por conta de ser a única válvula de escape para o estado que é a construção de mais uma opção de entrada e saída para o estado que hoje conta com a BR-324 e a Linha Verde, com isso a possibilidade da construção da ponte se tornaria a terceira via para o estado.

Um outro fator dentro dessa divisão está na atual conjuntura econômica e política dos municípios uma aparência de crescimento, a outra através da via de uma cidade turística onde nada é para o povo o que se vê são duas Câmaras de Vereadores que somadas são exatos 22(vinte e dois) vereadores, duas prefeituras onde se dividem e diferem em ideologia ficando a ilha sem uma representatividade no sentido estadual e federal, esta é a época de serem vistos na região centenas de candidatos que levam os votos e somente aparecem quatro anos depois.

Visão Cidade



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: