Consórcio fará estudos para requalificação do Museu Wanderley Pinho

Propaganda

O consórcio Domo Arquitetura Engenharia e Produtos Culturais/Sotero Arquitetura e Urbanismo será o responsável pela elaboração dos estudos e projetos necessários à execução das obras de requalificação do Museu do Recôncavo Wanderley Pinho, localizado no distrito de Caboto, no município de Candeias, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). A assinatura da ordem de serviços aconteceu nesta sexta-feira (25), na sede da Secretaria do Turismo da Bahia (Setur), na capital baiana.

A requalificação do museu – de grande importância arquitetônica e cultural, com acervo que reúne mais de 200 peças produzidas desde o século 17 – faz parte do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), responsável pela implantação do roteiro turístico náutico e cultural na Baía de Todos-os-Santos. “Chegamos a uma fase importante deste projeto para valorizar o turismo náutico na Baía de Todos-os-Santos, atraindo turistas estrangeiros e nacionais e também os baianos”, afirmou o subsecretário estadual do Turismo, Benedito Braga.

Os trabalhos do consórcio começam na segunda-feira (28), com prazo inicial de execução entre 150 e 180 dias. Eles incluem estudos de viabilidade técnica, socioeconômica e ambiental e projetos executivos de arquitetura, restauração, paisagismo e complementares de engenharia. “É um museu que tem grande importância para a Bahia e a nossa cultura. Por isso é uma honra para a nossa empresa participar de um projeto desta magnitude”, disse o gerente de contrato da Domo, Hélio Fernandes.

A reunião de assinatura teve a participação de João Carlos Cruz de Oliveira, presidente do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), órgão responsável pela preservação dos bens culturais da Bahia, entre os quais o museu está inserido.

Patrimônio

Instalado num casarão de quatro andares no antigo Engenho Freguesia, o Museu Wanderley Pinho é considerado uma das poucas edificações do Recôncavo Baiano a ter a arquitetura original preservada. A casa-grande é tombada como patrimônio nacional pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A estrutura possui 55 cômodos e inclui uma capela.(ASCOM)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: