Cinco novas unidades de conservação abrangem três biomas brasileiros

Cinco novas unidades de conservação foram criadas para fortalecer a proteção de áreas de preservação no Brasil. Também foi instituído o Plano Nacional de Fortalecimento das Comunidades Extrativistas e Ribeirinhas (Planafe). Os textos foram publicados no Diário Oficial da União desta sexta-feira (6).

Com a medida, o Parque Nacional e a Área de Proteção Ambiental (APA) Boqueirão da Onça, no interior da Bahia, e as reservas extrativistas Itapetininga, Arapiranga-Tromaí e Baía do Tubarão, no Maranhão, passam a integrar o conjunto de 333 unidades de conservação administradas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

O reconhecimento das áreas tem como objetivo ampliar o conjunto de espaços protegidos nos biomas Amazônia, costeiro-marinho e Caatinga. Entre as expectativas em relação à proteção das áreas está, por exemplo, a preservação do habitat da onça-pintada, maior felino das Américas, ameaçado de extinção. Já o Planefe vai levar, nos próximos anos, às populações tradicionais e ribeirinhas de todo o País ações de inclusão social, fomento à produção sustentável e apoio à gestão ambiental e territorial.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do ICMBio



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: