Bahia perde para o Náutico

Propaganda

O torcedor que reuniu a galera com cervejas e uns petiscos, crente que o Bahia iria brocar, ficou frustrado. Jogaram água na gelada. Neste sábado (10), o tricolor perdeu para o Náutico por 1×0, pela Copa do Nordeste, em Pernambuco.

No começo, até parecia que o Bahia ia mesmo atropelar o Náutico, mas a ilusão durou menos de 10 minutos.

Com quatro minutos de jogo, Vinícius, que vive bela fase com a camisa tricolor e é artilheiro do tricolor na temporada, com cinco gols, quase aumenta a conta com um chutaço de fora da área. Mas foi só isso mesmo.

No primeiro chute do alvirrubro, gol. Aos 10 minutos, Ortigoza recebeu passe dentro da área, mas perdeu a bola. Enquanto a dupla de zaga tricolor batia cabeça, Robinho aproveitou o nome de craque e fez um gol de chute rasteiro.

Não foi sorte. O Timbu, que não havia vencido nenhum jogo nessa edição do Nordestão, espantou a má fase na competição e mostrou que não é gato morto. Pressionou, assustou com chute de Nino e bomba de Wendel, que mandou a bola por cima do gol de Douglas.

O tricolor ainda deu aquela iludida com cobrança de falta de Kayke, até conseguiu uma boa apresentação, mas foi desastroso ofensivamente. Mostrou pique, qualidade técnica, mas nenhuma critividade do meio para a frente.

Deixou o torcedor na mão. O jeito era catar as casquinhas de amendoim e se concentrar para um segundo tempo um pouco menos indigesto. Afinal, no futebol, o que importa é bola na rede.

Guto mexeu. O técnico deixou o time mais ofensivo ao escalar Júnior Brumado e Elber nas vagas de Kayke e Elton, que não foram bem, e deu resultado. Mais agressivo, o Bahia criou com Nino Paraíba, que mandou uma bomba na trave e Elber, que, de peixinho, quase deixa o dele. O jogo, enfim, estava gostoso de assistir.

O Bahia atacou, pressionou, se defendeu. Viu o Náutico ir para cima e oferecer perigo em jogadas de contra-ataque. O tricolor teve uma postura mais ofensiva, mas não conseguiu fazer o que mais importa: ser certeiro na finalização e meter bola na rede.

Chegou com muito perigo com o garoto Júnior Brumado, que perdeu um gol de cara, e Allione, que furou na marca do pênalti. Ficou no quase. Não conseguiu vencer o Náutico e pagou caro. Além de não encaminhar a classificação antecipada, o Esquadrão perdeu sua invencibilidade de 10 partidas no ano.

Vale lembrar que esse foi o primeiro triunfo do Náutico na competição regional.

Vida que segue. O tricolor agora vira a chave e foca totalmente no Campeonato Baiano. As datas das semifinais ainda não foram divulgadas, mas é provável que o próximo jogo do Bahia seja no próximo sábado, contra a Juazeirense, fora de casa.(Correio)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: