Seminário PositHIVamente recebe palestra de youtuber na Centenário

Propaganda
Autointitulado “impostor”, por preferir conversar com a plateia ao invés de “palestrar”. O ator e youtuber goiano radicado em São Paulo, Gabriel Estrela, do Projeto Boa Sorte, foi a atração principal do 3º Seminário PositHIVamente, realizado no Complexo Clementino Fraga (5º Centro de Saúde), na Avenida Centenário. A iniciativa é realizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), e tem apoio de diversas instituições como a Unaids, Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e AIDS (RNP+Brasil) e Cidadãos Preventivos.
“Estou com 25 anos, fui diagnosticado com o HIV aos 18 anos e há três anos decidi falar abertamente sobre AIDS, sempre por meio da arte e lançando mão das ferramentas modernas de comunicação, como fotografia, vídeo, mídias sociais. Dessa forma é possível alcançar um público mais abrangente, entendendo sempre que falar sobre essas questões é um importante meio de levar esse diálogo adiante”, explica Estrela.
“Momentos como o proporcionado por este seminário são uma forma importante de interação. Trocamos experiências e podemos levar essas conversas para outros ambientes. Em um próximo momento, podemos nos encontrar para desenvolver novos assuntos, trocar informações e renovar as energias para ganhar ânimo e fazer um trabalho ainda melhor”, pontuou o ator e youtuber.
Ele ainda salientou o intenso clima de polarização no país, com diálogo escasso em todos os setores da sociedade. “Com isso, fica muito difícil encontrar meios termos e formas mútuas de cooperação. Então, é importante discutir o estado em que cada um se encontra para que no fim todos fiquem bem. Na minha fala eu discuto prevenção, falo de uma época em que a camisinha deixou de ser um hábito, faço uma linha do tempo, explicando esse caminho evolutivo do processo de prevenção”, completou.
Atividade – O seminário é uma forma de levar à sociedade a discussão acerca do HIV a partir da troca de experiências entre profissionais e pessoas que vivem com o vírus. Na busca em prestar suporte às famílias e às pessoas que vivem com o vírus, tenta-se diminuir cada vez mais as dúvidas e combater a raiz do preconceito. “Para fortalecer essa luta e enfrentar as adversidades, é preciso discutir e ir fundo no enfrentamento da situação”, destacou Sulamita Meneses, gerente do Setor do Serviço de Atenção Especializada da SMS.
O evento antecipa as atividades relacionadas ao Dia Mundial de Prevenção e Combate à Aids, que ocorre no dia 1º de dezembro. A edição 2017 do seminário trouxe como lema “Discriminação: Uma pedra no caminho”, e atraiu cerca de 100 participantes, entre pessoas que convivem diretamente com o vírus e profissionais da área de saúde.
SECOM


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: