7 Dicas para emagrecer enquanto ajuda o planeta

Propaganda
Para muita gente, perder alguns quilinhos e tornar a rotina mais sustentável são algumas das metas de vida. Pensando nisso, a escritora Blythe Copeland listou sete maneiras de unir as duas coisas de forma simples e divertida.
Segundo Blythe, seguir essas dicas poderá ajudar não apenas a tornar o mundo melhor, mas também a “se alimentar melhor, fazer mais exercícios, perder peso, economizar dinheiro e fazer novos amigos”, afirmou na matéria para o site Treehugger.
Matéria do site EcoDesenvolvimento

1. Dirija menos
Para a autora, não é preciso frequentar uma academia cara para acrescentar mais exercícios a rotina: basta usar menos o carro. “Se você puder andar até o trabalho, já irá aumentar a rotina de exercícios sem se programar para isso”.
Para quem não pode deixar o carro em casa, Blythe sugere outras ações, como trocar o brunch de sábado e domingo por caminhadas no final da tarde ou usar a bicicleta para pequenos deslocamentos.
“Mesmo que você não se considere um atleta, pequenas caminhadas ou pedaladas suaves vão ajudar a fazer com que as atividades físicas sejam parte da sua rotina, enquanto promove um grande impacto na pegada de carbono do seu transporte”, diz.

2. Participe de um programa de agricultura comunitária e descubra super alimentos
“Preencha suas refeições com alimentos super saudáveis, como brócolis, maçãs e quinoa. E filie-se a um programa de apoio à agricultura comunitária para garantir que você não irá voltar aos velhos hábitos”, propõe Blythe. Alimentos frescos, ricos em nutrientes e entregues semanalmente em sua casa vão inspirá-lo a descobrir novas receitas e aprender a gostar de comidas que você nunca escolheria se estivesse em um supermercado.
Esses alimentos também podem ser comprados diretamente de produtores locais. Aproveite para perguntá-los sobre novas receitas e dicas de preparo.

3. Faça refeições vegetarianas
Quem ainda tem dificuldade em adicionar frutas e vegetais nas refeições diárias pode tentar a terceira sugestão de Blythe. O conselho é fazer desses ingredientes os principais do prato, em vez de serem apenas acompanhamentos.
“Substitua a carne por vegetais de baixas calorias, feijão ou alternativas de soja para reduzir a cintura (e os gastos no orçamento) e, ao mesmo tempo, cortar as emissões produzidas por fazendas industriais”, diz.
Para quem acha que não consegue comer uma refeição sem carne, ela sugere pratos suculentos, como uma lasanha vegetariana, nhoque de abóbora e gaspacho. Quando não der para segurar a vontade de comer carne, Blythe sugere opções menos agressivas ao meio ambiente, como carne de animais criados em fazendas locais.

4. Cuidado com as calorias líquidas
De nada adianta você comer mais vegetais e cortar os alimentos mais calóricos da sua rotina se continua a beber litros de refrigerante, sucos açucarados e achocolatados. Quando essas bebidas são processadas e vendidas em embalagens individuais, você aumenta não apenas os pneuzinhos, mas também as emissões de carbono e a geração de lixo.
“Em vez disso, pegue uma garrafa reutilizável de água e a encha em bebedouros filtrados (você ainda pode adicionar algumas fatias de limão para ter mais sabor). Prefira maquinas que dão opção de refil e leve com você sua própria caneca de café com uma mistura feita em casa”.

5. Seja voluntário e participe de atividades externas
Inscrever-se em uma ONG não é uma das maneiras mais fáceis e rápidas de perder alguns quilinhos, garante Blythe. Mas as coisas podem ser bem diferentes quando você opta por uma causa que requer grandes atividades externas, como plantar árvores, coletar lixo e fazer a manutenção de trilhos. “Você estará ajudando a proteger o meio ambiente enquanto faz atividade moderadas”, lembra.
A iniciativa é ainda mais produtiva quando você conhece outras pessoas apaixonadas pela mesma causa que você, o que aumenta a chance de fazer amigos e se manter motivado a continuar com as atividades, “mesmo quando o sofá te chama para ver a maratona” do seu seriado favorito.

6. Faça uma horta caseira
Outra opção para movimentar o corpo e ajudar o planeta é fazer uma pequena horta caseira. “Enquanto você economiza dinheiro, ainda pode comer alimentos locais, sazonais e menos calóricos”, afirma a escritora. Isso sem contar as calorias que são gastas enquanto se cuida do pequeno jardim.
Mesmo quem só tem espaço para plantar pequenos temperos pode aproveitar ao máximo as ervas, colocando-as em sopas, massas e até biscoitos. Para quem quiser aprender a fazer uma horta caseira, o EcoDesenvolvimento.org já ensinou técnicas para implantá-las em pequenos, médios e grandes espaços.

7. Exercite-se ao ar livre
Não importa se você pratica yoga ou corrida, tente fazê-lo ao ar livre. Isso significa que você não precisará gastar energia com esteiras, lâmpadas, ar-condicionado, ou nenhum outro aparelho de uma academia. “O mais importante: passar mais tempo ao ar livre te dará mais motivação quando se trata de mudanças climáticas”, garante.
Segundo Blythe, quanto mais tempo em contato com a mãe natureza, maior será sua vontade de protegê-la, já que se trata não apenas do planeta dos seus netos, mas também do seu espaço de diversão e exercícios.
(Universo Jatobá)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: