Polícia Civil pode aderir à paralisação militar


O movimento grevista da Associação dos Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra) começa a ganhar corpo e força. Segundo o comando, apenas 7% da corporação teria aderido à paralisação, que teve início na noite de terça-feira (31), mas, a Associação dos Sargentos e Soldados da Policia Militar da Bahia, decidiu apoiar o movimento nesta quinta-feira (02).

A Aspra também ganhou o apoio de outra categoria, a da Polícia Civil.  Segundo Marcos Mauricio, presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc), os policiais irão participar de uma assembleia de caráter urgente urgentíssima para analisar a possibilidade de um movimento semelhantes ao militar.

A assembleia está marcada para esta sexta-feira (03), na Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia, em Salvador. Ainda Segundo Mauricio, “os objetivos dos PMs são os mesmos dos Civis”.  

O movimento militar liderado pela Associação Aspra, segundo o comando geral da Polícia Militar, não tem legitimidade. Os policiais estão concentrados na Assembleia Legislativa e prometem realizar uma passeata na tarde de hoje. A contração partirá do Centro Administrativo da Bahia (CAB), até o Iguatemi. 

Convocação:
 
O Presidente do SINDPOC no uso das atribuições que lhe confere, convoca todos os Policiais Civis do Estado da Bahia para participar da Assembleia Geral de caráter URGENTE URGENTÍSSIMA para discutir e deliberar sobre a pauta específica abaixo: Dia 03 de fevereiro de 2012 a partir das 09h na Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia, sito à Rua Carlos Gomes, 96, centro de Salvador;
 
Pauta: Avaliação do Movimento Paredista da PM-Ba
 
Marcos de Oliveira Maurício 
Presidente
(Bocão News)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: