Luiza Maia discute ações para o carnaval e PL antibaixaria

Representantes de entidades responsáveis por defender os direitos das mulheres compareceram nesta terça-feira (31/01), em um café da manhã realizado na Assembleia Legislativa da Bahia pela deputada Luiza Maia (PT). Durante a discussão, foram estabelecidas estratégias para inibir a violência contra a mulher no carnaval e formas de como dar mais visibilidade e fortalecer o Projeto de Lei (PL) antibaixaria.
Para a deputada Luiza Maia, a reunião serviu para estabelecer principais pontos que serão seguidos durante o evento. “O carnaval é o momento em que a violência aumenta, e principalmente, a violência contra a mulher. Queremos observar e denunciar este tipo de agressão, além de fortalecer ainda mais o PL na maior festa de rua do mundo”, disse a petista.
No final do evento ficou decidido que, além de um maior empenho dos Observatórios Municipal de Violência Contra a Mulher e o da Lei Maria da Penha, presentes no carnaval, ajudando a inibir a violência, os movimentos de mulheres participarão em massa da Mudança do Garcia com o bloco antibaixaria e a confecção de uma carta aos artistas assinada por essas entidades e pela Comissão de Direitos da Mulher pedindo que eles ajudem no combate à violência durante os dias de festa.
Estiveram presentes na conversa as deputadas Neusa Cadore (PT), Maria Del Carmen (PT), Ângela Sousa (PSC) e Fatima Nunes (PT), a presidente do Conselho Municipal da Mulher, Célia Sacramento, a secretária Vera Lúcia Barbosa e as integrantes Maria Alice Bittencourt, Ana Angélica e Maria Madalena Noronha da secretaria de políticas para as mulheres, a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, as advogadas Marilena Galvão e Ana Carolina representando a OAB- BA, Valquiria Barbosa da Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica, Deise Oliveira da Casa de Acolhimento a Mulher, a professora Cecília Sardenberg e a pesquisadora Ana Alice Costa do NEIM da UFBA, a delegada Marilda Marcela da DEAM de Brotas, a juíza Márcia Nunes Lisboa da Vara de Violência Doméstica, a defensora pública, Firmiane Venâncio, Zildete Oliveira da Associação de Moradores de Castelo Branco e Sandra Muñoz do Movimento de Lésbicas e Mulheres Bisexuais da Bahia e Associação de Moradores do Garcia.( Ascom)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: